CIRURGIA GLAUCOMA

equipa

O QUE É O GLAUCOMA?

O glaucoma é uma doença ocular grave e uma das principais causas de cegueira no mundo actual. No glaucoma a perda de visão é consequência da destruição do nervo óptico, uma estrutura localizada no fundo do olho, e responsável pela condução das imagens até ao cérebro. O nervo óptico pode ser comparado a um cabo eléctrico formado por inúmeros fios, as fibras nervosas. No glaucoma essas fibras são destruídas, tornando impossível a condução das imagens ao cérebro. Nesta situação assiste-se ao aparecimento de escotomas (ilhéus de perda de visão no campo visual), assintomáticos, e se a doença evoluir, há perda progressiva da visão.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

De um modo geral, o doente com glaucoma só se apercebe que tem um problema numa fase já avançada da doença, quando já padece de uma visão residual (visão tubular). À medida que a doença evolui e não é tratada, pode levar à perda total da visão (sem perceção luminosa).

COMO É DIAGNOSTICADO?

As consultas regulares por um oftalmologista são a melhor maneira de detectar o glaucoma. No decorrer da consulta o médico realiza um exame detalhado que inclui:

  • Medicação da tensão ocular (tonometria)
  • Avaliação das vias de escoamento do humor aquoso (gonioscopia)
  • Avaliação da eventual destruição do nervo óptico (oftalmoscopia)
  • Avaliação do campo visual, em cada olho (perimetria)

Dependendo da situação do doente, o oftalmologista decidirá quais os testes a realizar e qual a regularidade com que estes testes deverão ser repetidos.

TRATAMENTOS

Tratamento Médico: Administração de medicação (gotas oftálmicas) com vista a normalizar a tensão ocular.

Tratamento por Laser: A cirurgia por laser é normalmente utilizada quando a medicação não consegue controlar a tensão ocular. O laser é utilizado para “desentupir” os canais de escoamento do líquido intra-ocular – trabeculoplastia – no caso do glaucoma de ângulo aberto, ou para abrir comunicações na base da íris – iridotomia – no glaucoma de ângulo fechado.

Cirurgia: De um modo geral, a cirurgia está reservada para os casos em que a medicação e o tratamento por laser não controlam a doença. Neste caso o oftalmologista procede igualmente à abertura de canais para o escoamento do líquido intra-ocular, no sentido de reduzir a tensão ocular e controlar a evolução da patologia.